ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O SUPER BEAT MAKER "TROUBLE"

Hoje, escolhemos o jovem Helton Arnaldo Salamique ou simplesmente "TROUBLEMAKERBEATZ", para esta entrevista exclusiva. Aqui, o nosso caro visitante poderá ter um conhecimento adicional por de trás deste Super Produtor.

É quase impossível fazer um Top de Melhores Produtores de Kizomba ou Zouk de Moçambique e do mundo fora e não mencionar o "TROUBLE". De facto, se isso acontecesse, seria uma grande injustiça e muito orgulho por parte da pessoa que listaria o tal Top.Para começar a entrevista, vamos saber algumas coisinhas sobre o nosso entrevistado.

Helton nasceu e passa maior parte do tempo na cidade de Quelimane, no bairro Aeroporto "Aldeia", Av. Agostinho Neto. Tem Vinte e Um (21) Anos de Idade, imperativamente teve que parar os estudos mas planeia continua-los no ano que vem (2018). Ele tem sete (7) irmãos. Entre todas as cores ele prefere a Azul e de todas as marcas de Perfume ele escolhe Smart Allure (o curioso é que ele não usa o perfume com muita frequência pois prefere que as pessoas habituem-se ao seu cheiro natural). Helton é apaixonado por filmes, isso faz com que se ocupe mais a vê-los quando está livre. Falando do seu maior sonho, ele disse: 

 "O primeiro é o de ajudar maior número possível de pessoas, me refiro na criação de oportunidades de emprego... Me focando mais nas pessoas necessitadas (sem abrigo); construção de orfanatos, etc. O segundo... Resume-se em ter a vida que planeei com a pessoa que amo".


 Agora, acompanhe a entrevista, em exclusivo, com este Super Produtor Zambeziano:


Quem é TroubleMaker no Mundo da Música?

R: No mundo da música, Troublemaker é um “beatmaker” com planos de se tornar produtor e de abrir uma agência musical.

 Quando Começou a ter contacto com a Música? Teve alguma influência?

R: Contacto com a música começou desde 2008, como Rapper, e tive influência (de forma indirecta) de Lloyd Kappa’s e do Mauro (ex-produtor). Como beatmaker, foi no final do ano 2007, porém, eu não gostava porque só queria saber “jogos electrónicos”, e já vinha sendo influenciado pelo falecido produtor G-Face.

Já cantou ou tem música?

R: cantei e muito. 99% das músicas foram perdidas com o tempo.

 Como começou a ter o gosto pela produção? Como surgiu TroubleMakerBeatz?

R: Gosto pela produção começou tarde, em 2010, sob influência de um amigo meu, DaStreetBoy.

O Trouble surgiu no final do ano 2013, quando eu estava assistir o filme “Django Unchained”, interpretado pelo Jamie Foxx. Numa passagem, após ele e sua esposa destruírem a casa dos vilões, a esposa falou algo e no final os designou de problemáticos (Troublemakers); Naquele dado momento, senti algo estranho e diferente - relacionado ao nome, e era como se existisse uma voz - vindo de dentro de mim, dizendo que aquele seria o nome ideal para mim... E assim, tornei-me o TroublemakerBeatz/Mr. Trouble.

 O Trouble tem um Estúdio de Produção ou produz onde quer que esteja?

R: Não... Não tenho estúdio, e do momento não é uma grande necessidade, nem é prioridade.

 Considera-se um Produtor de Sucesso? Se não, o que falta?

R: Me considero um beatmaker de sucesso, pois eu já venho lutando comigo mesmo para me auto-superar, ou seja, se tu escutar o Trouble de 2013, notará uma diferença com o de hoje. É assim como eu defino o meu sucesso.

 Pode citar com quais artistas já trabalhou e qual foi a sensação ao ser contactado por alguns deles?

R: Eish... Eu não vou conseguir me lembrar de todos.....rsrsrsrsrsrs... e prefiro não arriscar em dizer porque sei que esquecerei alguns e depois posso ser mal-interpretado.

Quanto a sensação...É assim: eu faço beatz para mim mesmo, ou seja, para limpar e restaurar minha alma e, quando aparece alguém dizendo que gostou e quer pagar algo que eu fiz pensando em mim – é de louvar e, isso me fez perceber que, se um determinado beat toca minha alma, automaticamente, existem mais pessoas que também se identificarão com o mesmo beat.

 Qual foi o “ponto” mais alto da carreira e qual a música ou produção te tornou conhecido para outros músicos?

R: Desde que eu consiga estar no PC, com meus auriculares e fazendo o que mais gosto de fazer, para mim, aquele dado momento é e sempre será o ponto mais alto da minha carreira.

Músicas que me tornaram conhecido para outros artistas, foram e são tantas, ou seja, cada música produzida por mim, sempre desencadeia um novo público alvo, inclusive artistas (cantores e músicos) mas, não deixarei de citar “algumas”:

  1. Kiingston Baby – Meu Amor (Não Me Faz Sofrer); Vamos Ficar Embora Bem; Sou Teu (ft Messias Maricoa), Sua Falta e Hoje Sou Brazzuka.
  2. Felex – Me coça (ft. Messias Maricoa & Twenty Fingers);
  3. Messias Maricoa – Gago;
  4. Twenty Fingers – Sou Todo Teu. 
  5. Filomena Maricoa – Vou Te Colar (ft. Twenty Fingers) 
  6. Os Envolvidos (Felex & Dos Anéis) – To a Falar a Sério.

Entre outras...

 É um produtor versátil. Qual dos estilos mais gosta de produzir e qual foi o primeiro beat que produziu?

R: Gosto mais de Kizomba, pois me permite experimentar muita coisa.

Não me lembro do primeiro beat que eu produzi mas, me lembro da primeira música produzida por mim; foi um comboio do estilo “Trap”, entitulada “Fly Nigga From Moz” e que também participei na música.

 Quem quiser contratar os serviços do “Trouble” como deve proceder?

R: É só se dirigir ás minhas páginas; terá toda informação necessária para tal.

 Meu facebook pessoal é “Helton Salamique”; Página, TroublemakerBeatz; Instagram, Troublemaker_beatz, e não uso Twitter.

Quanto custam os beatz do TROUBLE?

R: Para artistas de Quelimane, eu cobro 1.000mt apenas. Para artistas das restantes províncias, cobro 1.500mt à 2.000mt.

 Acha este o preço mais justo? Se pudesse, acrescentaria ou diminuiria?

R: Não é e nunca foi o preço justo, pois, ao fazer isso, estou me a prostituir, degradar a arte, desvalorizar meu trabalho e a prejudicar os beatmaker da nova Escola, fazendo com que os mesmo recebam migalhas pela sua arte...!
Não, eu não quero isso porque sei que existe espaço e tempo para todos.

Se for para acrescentar ou diminuir, é claro que aumentaria e aumentarei dentro de dias.

 Vive ou Pretende, algum dia, viver desta arte?

R: Não vivo da arte, e sim, um dia, pretendo viver da mesma.

  O que acha da produção de instrumentais que tem sido feita na tua Província e a nível nacional?

R: Moçambique tem melhores produtores do Mundo só que, a sociedade os fez  perder fé e não acreditar nos seus próprios potenciais.....É o que eu tenho a dizer.

 Na sua opinião, os produtores dependem dos cantores para poderem singrar?

R: “Nem sempre dependem”, pois há quem faz mais dinheiro que muitos cantores, apenas fazendo beat.

 Esteve recentemente nomeado a categoria de melhor produtor no KizombaMusicAwards 2016. O que tens a dizer sobre isso?

R: Foi uma boa experiência e motivou me a trabalhar mais, mais e mais.

 Sente alguma valorização por dos cantores que já beneficiaram dos teus trabalhos?

R: Sim, sinto.

 Cite o nome de cinco produtores incluindo estrangeiros, que te inspiram de alguma forma e cinco artistas com quem gostarias de trabalhar?

R: Produtores que me inspiram de alguma forma... São:
  1. FleepBeatz (<3 i="" nbsp="">
  2. Zwirek Beatz, 
  3. B.A.M,
  4. Kellan Diogo
  5. N-Soul.
Artistas com quem gostaria de trabalhar...são: 

  1. HotBlaze, 
  2. Bass “Hanikesh”, 
  3. C4 Pedro, 
  4. Celma Ribas
  5. Landrick.  

 Projecto para o futuro?

R: Como já tinha dito antes, criar uma agência musical, e reunir maior e melhores talento de Quelimane para assim, poder realizar sonhos dos mesmos.

 Um último recado para todos os seguidores do TROUBLEMAKERBEATZ.

R: Quero agradecer pelo suporte que têm dado e espero que continuem seguindo o Trouble, que eu farei e darei o máximo para sempre trazer bons sons para todos vocês.

CURIOSIDADE
A Família incentiva-te nesta arte?

R: Rsrsrs... Minha família nunca me incentivou na arte (música) e eu sinto que eles têm medo que eu falhe na vida por causa da mesma e, como resultado disso, me torne um fracassado. Isso é lógico por parte deles e justifica-se.

Share on Google Plus

About Musika Nova

Se me conheces com base no meu passado, permita-me que eu me apresente novamente!