ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O CANTOR E COMPOSITOR, FAYZAL JUNIOR

Fayzal Baião Ossemane Júnior ou simplesmente Fayzal Júnior, como todos o conhecem, é um jovem artista zambéziano. Com Naturalidade e Residência em Quelimane, no bairro Administrativo, Fayzal é estudante do ensino superior e funcionário de uma empresa não governamental. Com três (3) irmãs, Fayzal é o caçula e único rapaz da família.

Quanto as suas preferências, o nosso entrevistado não tem limites na escolha de marcas de roupa, sapatos, perfumes e outros acessórios, bastando apenas que o produto seja bom, bonito e enquadrado. Embora esta liberdade toda de escolha, Fayzal sabem muito bem que cor ele gosta, e é a mesma que vemos pintada no Céu: Azul Claro.

Fayzal Júnior é muito divertido, tanto que quando está livre, também está ocupado por conta das escolhas de lazer que tem: ver um bom filme, jogar futebol, Jogos electrónicos, bater um bom papo e escutar música boa.

Sobre o seu Maior erro, Seu Maior Orgulho e Seu Maior Sonho na Vida, ele diz: 

"O meu maior erro na vida foi trair a confiança de uma pessoa, ver ela chorar enquanto era uma pessoa que não merecia. E o meu maior orgulho na vida foi o presente que Deus me deu (a minha filha). Meu maior sonho é ter renome na música nacional tanto quanto internacional, e ser um bom exemplo para muitos pais, filhos, maridos, genros, irmãos, cunhados, tios, amigos, netos e etc."

Acompanhe a seguir a entrevista concedida exclusivamente ao MUSIKA NOVA, por este jovem artista zambeziano, Fayzal Junior:

Como te descreves no mundo artístico?
R: Basicamente descrevo-me como sendo um cantor, compositor e fazedor da arte.

Quando e como começou a ter contacto com a Musica? Quem te inspira?

R: Bom, comecei a ter contacto com a música desde miúdo, meus pais disseram-me que desde a infância eu já tinha uma paixão enorme pela música, mas isso não aconteceu por acaso. Contaram-me que o meu falecido pai também foi um cantor e músico de "mão-cheia" isso nos tempos da sua juventude. Então posso dizer que eu herdei isso do meu Herói.

Quanto a minha inspiração, ela vem de muita gente. Por exemplo, na área musical inspiro-me mais em meu pai. O facto é que sempre que lembro dele sinto-me inspirado e motivado em fazer música com intuito de nunca desistir e tornar realidade os sonhos que ele sempre teve quando era musico, eu acho que ele se orgulharia muito de mim.

Que espaço a música ocupa na tua vida?

R: Na verdade é muito espaço que ela ocupa.Diria que ocupa 90% na minha vida. Se fosse um disco duro, já estaria vermelho (risos).

Esclareça-nos algo: Ser Musico é o mesmo que ser cantor? Diferença?

R: Eu acho que não é a mesma coisa! Bom, de principio posso salientar que adopta-se o termo MÚSICO quando nos referimos  a qualquer pessoa ligada directamente a música, em carácter profissional ou amador, exercendo alguma função no campo de música como a de tocar um instrumento musical, compondo letras ou por exemplo dirigindo um grupo coral. Já o CANTOR é aquele que executa o canto, ou simplesmente canta e não sabe monitorar os instrumentos musicais.

Podias contar-nos como é que acontece todo o processo das tuas composições?

R: As minhas composições muita das vezes não são planejadas, a maioria delas são feitas na rua, no trabalho, andando, correndo, gritando, conversando e ate mesmo quando estou no banho. Simplesmente surge uma inspiração independentemente de quando, onde, como e com quem eu estiver. Não sou muito de sentar, pegar um papel em branco e começar a escrever, muita das vezes eu capto e ponho a letra na cabeça sem precisar escrever.

Bom, cantar o que você gosta não é o mesmo que cantar o que o Publico quer . Diga-nos qual é seu estilo e o que procura dar ao público?

R: Bem, acredito eu que muitos cantores e músicos não cantam baseando-se nos gostos, ritmos e estilos que as pessoas querem. A pessoa canta aquilo que lhe identifica, aquilo que a pessoa domina e sente-se a vontade ao cantar. Mas não digo que não nos preocupamos com o gostos do público, o desejo de todo artista é fazer algo que agrada e conquista o pessoal porque é o mesmo pessoal que analisa, adere, escuta e aprecia o nosso trabalho. É por isso que por encaixar-me nessa vertente, eu sempre trato de fazer musica de acordo com o ritmo que se escuta mais numa certa época. Por Exemplo, eu deixei de cantar no estilo que me identifica (R&B), para fazer um estilo actual (kizomba). Então, eu procuro sempre dar ao público o que está na moda e por vezes fazer um pouco de tudo porque há público, há ouvintes, há telespectadores, há amadores, há gostos para todo tipo, estilo ou género de música.

Fayzal Júnior Lançou recentemente um EP com o titulo “Altos e Baixos”. Poderias contar-nos contar-nos algo sobre esse feito? 

R: Antes deste EP, eu só vinha fazendo músicas a solo sem quaisquer responsabilidade, era por diversão. Por isso considero "Altos e Baixos" como sendo o meu primeiro filho, a minha primeira obra musical, pois foi mais sério e dediquei-me imenso. 

O EP contém 5 faixas:
1. Altos e Baixos (Produzida por TroubleMaker)
2. Acredita Em Mim (Produzida por TroubleMaker)
3. Me Aceita (Produzida por TroubleMaker)
4. Réu (Produzida por Boy Eri)
5. Não Vai Dar (Produzida por Boy Eri)

A faixa 3 teve a participação do Kiingston Baby, faixa 4 teve a participação do Hafu Veloso e a faixa 5 teve a participação do rapper Tchaka. Todas as faixas foram gravadas no "M Recordz" estúdio do Tchaka e foram masterizados pelo Dastreet excepto a faixa 3 (Me Aceita) que foi masterizada por Dayon Vuma da (BomTrack Studios). As composições foram feitas por mim mas com ideias adicionais dos colegas que tiveram as participações no EP.

O que te aconteceu de Melhor e de Pior por conta do Seu Trabalho artístico?

R: De melhor, foram as oportunidades de eu participar nos shows de grandes cantores internacionais. Do pior, foi  ter que esperar ate ontem um patrocinador que nunca chegou. (risos)

Consideras-te um artista de sucesso? Porque?

R: Não! Não me considero um artista do sucesso porque ainda não alcancei a minha meta, ainda não cheguei ao nível daquilo que eu possa me considerar assim. Resumindo.. ainda estou na caminhada para o alcance do sucesso.

Já agora, Está Satisfeito com a sua carreira?

R: Sim, estou satisfeito!

Quanto cobras pelos teus trabalhos?

R: Ainda não comecei a cobrar pelos "featurings", ou melhor, ate hoje os featurings que eu já tive foram com amigos e colegas meus. Por isso nunca tive necessidade de cobrar. E mesmo que não fossem meus amigos eu não haveria de cobrar, porque sinto que ainda não estou o nível de começar a cobrar pelos featurings. Já na parte de actuações, não tenho um preço fixo, geralmente costumo cobrar de acordo com as características de cada evento. Dando um intervalo de valores, diria que cobro entre 1.500mt a 3.000mt.

Acha este o preço mais justo? Se pudesse, acrescentaria ou diminuiria?

R: Acho que para o nível que eu me encontro é justo sim, mas quando vou alem da satisfação dos organizadores eu nunca nego o aumento que sou dado. (Risos)

Sente alguma valorização por parte dos promotores que já beneficiaram dos teus trabalhos?

R: Mais ou menos, porque não foram muitos até hoje. Mas essa parte prefiro não comentar muito. (risos)

Uns dos grandes dilemas que se vive no mundo da música é a questão de sustentabilidade. Por isso queremos saber de ti: Consegue viver ou Pretende, algum dia, viver desta arte?

R: Não vivo desta arte, e se um dia o sucesso bater as minhas portas quem sabe!

O que acha do ambiente artístico zambeziano?

R: Bom, de principio dizer que Zambézia, em termos de musica, não tem sido a mesma de uns anos pra cá, a evolução é constante: agora já se fazem/produzem boas musicas localmente, o pessoal adere aos nossos trabalhos. De uma forma geral, digo que já se valoriza mais a nossa musica em relação aos anos que se passaram. Então acho que o ambiente artístico Zambeziano está muito bom e isso é motivante.

Com quais artistas gostarias de trabalhar um dia?

R: Cláudio Ismael; Fiex; Hermínio; Twenty- Fingers; Hernani; Dream Boys; Landrick: Djodje........eissh, são vários.

Projectos para o futuro?

R: Tenho vários.....Mas a minha meta é criar a minha própria identidade, servir/agradar o publico e dar a melhor vida para minha filha.

Quem quiser contratar os teus serviços como deve proceder?

R: É fácil, podem usar os meus contactos telefónicos ou acessando uma das minhas contas nas redes sociais.

CEL: 869188921 - 843606245 - 827938062 - Whatsapp
Facebook: Fayzal Júnior
Instagram: @fayzaljunior
Twitter: @fayzaljunior

Na sua opinião, para que uma música seja HIT, depende do cantor ou do Beat ?

R: Modestamente eu penso que depende das duas coisas, porque o cantor pode cantar bem e abordar um assunto bom, mas quando a instrumental não faz o 50% na musica, ela passa a não ser hit.

Um último recado para todos os seguidores do Fayzal Júnior.

R: Agradecer pela força, pela ajuda e pela confiança de todos, e pedir para que nunca desistam de mim porque estou trabalhando duro para que sempre traga alegria e orgulho à vocês.

CURIOSIDADES 

Figura Publica Zambeziana pela qual NÃO TIRAS O CHAPÉU. Porque?

R: Felizmente não há.

Figura publica Zambeziana pela qual TIRAS O CHAPÉU. Porque?

R: São vários e se eu for a citar vou acabar por esquecer nome de alguns. Eu não quero dar motivos para que se zanguem comigo (risos).

Qual a pior parte da fama?

R: A pior parte da fama é ser tão famoso ao ponto de não ser visto com uma pessoa normal, e ter que se limitar em fazer tudo.

Por: Isá Gildo
Share on Google Plus

About Musika Nova

Se me conheces com base no meu passado, permita-me que eu me apresente novamente!