ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O RAPPER MOÇAMBICANO "CASE BUYAKAH"


O seu nome formal e oficial é  Airony Michel Ezequiel Cuco, mas na sua área de trabalho - música - é conhecido por Case Buyakah. "Airony ou Case" é um jovem Rapper Moçambicano,  nascido aos 6 de Abril em Maputo. O seu bairro de origem e de residencia é o Alto-Maé, Av. Ho-Chi-Min.  

O nosso entrevistado, para além de simpático e acessível, tem a cor Azul como sua favorita. Para além disso, quando se trata de perfumes ele escolhe "Channel" e quando tem um espaço livre prefere Jogar Basket, Dormir ou Escrever. Seu maior sonho? Ele próprio garante: 



 Sustentar a família com aquilo que amo fazer que é fazer MÚSICA.

Acompanhe logo abaixo, a entrevista exclusiva que o Rapper Case Buyakah:

1. De que és um Rapper experiente e de longa data, isso provavelmente toda gente sabe. Mas quando pedem para definires a ti próprio tanto como um simples cidadão assim como no mundo artístico, o que dizes?

R/.  Eu acho que sou uma pessoa muito simples, muito exigente, por vezes chato, sou alguém que gosta de ajudar, muito no meu canto, talvez seja por isso que ainda não faço parte de nenhum grupo.

2. Lembras-te da primeira vez que estiveste num estúdio? Descreva as circunstâncias que precederam este evento.


R/. Epah, primeira vez que estive num estúdio foi em 2007 se não me engano, estava com uns amigos que queriam gravar uma música porque conseguimos um BEAT, eles já me conheciam como rapper, mas eu nunca havia repado antes em música alguma, fomos ao estúdio no Jardim, estudio da SOS (uns gajos que batiam no tempo), gravamos a música e ao saírmos de lá festejamos tanto tipo eramos os próprios Cristianos Ronaldos a marcar a bicicleta... LOL 

3.   É notável a tua predominância no estilo Hip Hop. A escolha foi sempre o Hip Hop?Porquê o Hip Hop? Ha chances de um dia ouvirmos o case noutros estilos?

R/.  Por influência do meu irmão mais velho eu sempre escutei rap desde criança, acho que isso me influenciou a amar a cultura, eu decorava letras de malta EMINEM, SNOOP DOGG, BOSS AC e vários outros artistas, eu ficava a escutar mil vezes as músicas e escrevia as letras deles no papel, hehe. Graças a Deus meu pai também foi uma boa influência musicalmente na minha vida porque me introduziu artistas como BOYS 2 MAN, NEW EDITION, entre outros artistas de estilos diferentes, portanto eu faço  MÚSICA, amo fazer MÚSICA no geral, não importa o estilo, da mesma forma que já escrevi letras para vários artistas de outros estilos um dia posso fazer meu também.

4.  Quais as tuas maiores influências no Hip Hop que Fazes?

R/.  Maiores influèncias, EMINEM, ONIX, ICE CUBE, XZIBIT, SCOOBY DOO, BOSS AC.

5.      Houve tempos que o Hip Hop era feito por amor a Camisola. Pode-se dizer que hoje é diferente a ponto de ser possível viver apenas do Hip Hop em Moçambique?

R/. Não posso garantir que isso seja verdade, mas é verdade que estamos a lutar para que isso se torne uma realidade, porque outros estilos musicais tem vários apoios que o rap não tem cá, mas estamos a mudar o cenário, vamos fazer o rap brilhar tanto que eles vão querer fazer parte do nosso brilho.


6.     Só por curiosidade, Quanto cobras por cada actuação tua ? Acha este preço mais justo? Se pudesse, acrescentaria ou diminuiria?


R/.  ...O preço que cobro, revelo apenas aos que contactam-me a solicitar os meus serviços....mas, eu acho o preço que cobro é justo, e aumentaria sim, estou a mais ou menos 11/12 anos a investir na música sem patrocínio qualquer, sem grupo, sem manager, sem ajuda nenhuma, tudo com meu esforço próprio, então acho justo e vou continuar investindo até todos notarem que é justo mesmo.


7.      Todo artista tem sempre aquela obra que de certa forma acaba sendo o passaporte para o sucesso. No seu caso qual foi a composição ou música que te tornou conhecido no mundo artístico e qual foi o “ponto” mais alto da carreira?

R/.  Na verdade eu acho que cada música que lanço me leva para um outro piso, mas existem músicas que lancei que ainda estava a caminho das escadas, o primeiro piso foi com a música MATRECO, depois COMPANHEIRO, daí fui lançando BAGUNÇA BARULHO, algumas participações, outras músicas a solo até lançar a NDSNL (não dá sinal não liga) que acredito que começaram a olhar-me com outros olhos além do RAP.

8.      Olhando pelas ramificações do estilo que surgiram e vão surgindo com o tempo, Como Você Vê A Cena Rap/Hip Hop em Moçambique Actualmente?

R/O Rap está de boa saúde agora, o público está a aderir como deve ser, só acho que os NEW COMMERS têm de estudar mais sobre MÚSICA, porque estão sa desviar muito para coisas banais, papos banais, devem procurar saber de quem os seus ídolos se inspiram, para serem melhores que eles, porque hoje em dia ouvimos muito LIXO por aí, sei que devemos dar supporte e tal, mas se faz mer** que vá a mer** e parem de nos envergonhar

9.      A outra área que temos conhecimento de que trabalhas é a “PRODUÇÃO DE VIDEOS”. Foi pela necessidade do mercado ou simplesmente para ganhar uma certa independência na sua própria carreira?

R/.  Eu comecei a fazer vídeos por volta de 2009, na verdade eu só comecei a fazer vídeos porque não tinha dinheiro para pagar os meus próprios, então comecei a investigar para fazer meus vídeos, meus amigos gostavam de ver os meus trabalhos e pediam para fazer para eles também, foi quando notei que tinha vocação para o trabalho e comecei a levar a sério e a investir mais no trabalho, até criar a empresa CASE GRAPHICS.

10.  Acaba de Lançar a EP “Ambicioso”. O que tens a dizer sobre esta obra?

R/.  AMBICIOSO é o meu projecto lançado, depois de muito tempo a lançar músicas apenas, e está a ser a melhor experiência que já tive com lançamento de algo, aconselho aos artistas a fazer também, é aí que o povo consegue notar até onde vai a tua diversidade e criatividade.


11.  Acabamos de entrar para o 2º trimestre do ano. O que podemos esperar do Case para os próximos tempos?

R/.  Podem esperar vídeos, shows, participações e várias outras surpresas.

12.  Um último recado para todos os Rappers da New School.

R/.  PERSISTÊNCIA, PACIÊNCIA E RESPEITO.

13.  Quem quiser contratar os serviços do “Case Buyakah” como deve proceder?

R/. É só entrar em contacto através das minhas redes sociais mesmo, nomeadamente:

  • Facebook- Case Buyakah, 
  • Instagram@CaseBuyakah
  • Twitter-  @CaseBuyakah

14.  Para terminar: Qual o maior verso que já ouviste de um musico e que te lembras até hoje?

R/. “ Vejo cobras a aproximarem, mato as gajas e me txuno um sinto “ CASE BUYAKAH, Música QUALQUER da EP Ambicioso.

CURIOSIDADES

1. Já aconselhaste, sinceramente, a um colega teu a parar de cantar porque achaste que ele cantava “lixo”?

R/. Não me recordo se já fiz algo de género, mas sou capaz de fazer isso, sou muito sincero.

2. Qual o teu ponto de vista sobre os beefs entre artistas. Destroem ou promovem a carreira?

R/. Os beefs podem promover ou destruir a carreira, depende de como fazes o beef, quais as intenções, se for algo estratégico ou apenas burrice.

3. Sendo um rapper experiente, qual o segredo para tornar uma música num verdadeiro Hit?

R/. Lançar cada música como se fosse a primeira.

Share on Google Plus

About Musika Nova

Se me conheces com base no meu passado, permita-me que eu me apresente novamente!